AS INSTITUIÇÕES ORGANIZADORAS

As Instituições Organizadoras

Associação Brasileira de Economia Industrial e Inovação (ABEIN)

A Associação Brasileira de Economia Industrial e Inovação – ABEIN é uma Associação civil, fundada em 13 de agosto de 2015, sem finalidade lucrativa ou econômica, tem sede na cidade de Araraquara.

A ABEIN tem por objetivos desenvolver e promover o conhecimento científico em áreas da Economia Industrial, Ciência, Tecnologia e Inovação, visando fornecer subsídios para políticas, pesquisas e investigação voltados ao desenvolvimento econômico e social, por meio:

a) do ensino, da pesquisa e de estudos sobre os temas objetivos da Associação;

b) do fomento ao intercâmbio permanente dos conhecimentos e dos pesquisadores de centros ou instituições que se dediquem aos mesmos objetivos da Associação;

c) da organização e divulgação de reuniões técnicas e de interesse científico e eventuais eventos da mesma ordem da Associação;

d) da organização de Encontros anuais da Associação Brasileira de Economia Industrial e Inovação;

e) da edição, promoção e divulgação de documentos e trabalhos científicos;

f) da organização de serviços de informações e documentação sobre o ensino, a pesquisa, o pessoal e as instituições especializadas nos temas objetivos da Associação;

g) da concessão de bolsas, prêmios, etc;

h) do intercâmbio com indústrias, organizações não governamentais e empresas públicas e privadas interessadas nos temas e pesquisas objetivos da Associação.

Instituto de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia (IERI-UFU)

O Instituto de Economia e Relações Internacionais (IERI) tem sua origem no Departamento de Economia da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) que, por sua vez, nasceu da antiga Faculdade de Ciências Econômicas de Uberlândia, fundada em 1962, passando a integrar a Universidade de Uberlândia, autorizada a funcionar em 1969. Com a federalização da Universidade em 1978, foram instituídos os Departamentos como suas unidades básicas e, nessa nova estrutura organizacional, surgiram o Departamento de Economia (atualmente Instituto de Economia e Relações Internacionais) e o Curso de Graduação em Ciências Econômicas.

Além do Curso de Graduação, o IERI é constituído pelo Programa de Pós-Graduação em Economia cujas atividades iniciaram em 1996 com a implementação do Mestrado em Desenvolvimento Econômico. Em 2000 passou a ser denominado Mestrado em Economia. Em 2007 iniciou-se o Curso de Doutorado, passando o programa a ser denominado Programa de Pós-Graduação em Economia (PPGE). Em 2008 foi criado o Curso de Graduação em Relações Internacionais e em 2014 o curso de Mestrado em Relações Internacionais.

As pesquisas desenvolvidas no IERI contam historicamente com o apoio de um amplo conjunto de agências de fomento e organizações: BNDES, CAPES, CEPAL/ONU, CGEE, CNPq, Comissão Europeia, EMBRAPA, FAO/ONU, FAPEMIG, FINEP, IICA, IPEA, Instituto Presbiteriano Mackenzie, Ministério da Ciência e Tecnologia, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Ministério do Desenvolvimento Social e SEBRAE.

Além das pesquisas realizadas pelo corpo docente, outras são realizadas pelo Centro de Pesquisas Econômico-Sociais (CEPES), órgão complementar vinculado ao Instituto de Economia e Relações Internacionais. O CEPES foi fundado em 1977, desenvolvendo atividades que, além de possuírem grande interface com as demandas da sociedade, dão suporte ao ensino, à pesquisa e à extensão do Instituto de Economia e Relações Internacionais.